“Batem à Porta” é envolvente, mas sem surpresas

0
73


Novo terror psicológico do diretor de “Sinais” estreia nesta quinta-feira (02)

M. Night Shyamalan se tornou conhecido por dirigir filmes com finais surpreendentes como “Sinais” (2002) e “O sexto Sentido” (1999), ou seja, fez com que o público aguardasse por seus longas justamente por esse aspecto. Nesta quinta (2), estreia sua nova produção, “Batem à Porta”, um terror psicológico sobre um possível apocalipse, inspirado no livro “A Cabana do Fim do Mundo”, de Paul G. Tremblay. Mesmo com uma trama envolvente, no entanto, o filme não traz surpresas, tornando- se cansativo e decepcionante.

Eric (Ben Aldrige) e Andrew (Jonathan Groff) estão de férias com sua filha Wen (Kristen Cui) em uma cabana isolada. Enquanto brincava na floresta, a pequena Wen conhece o gentil Leonard (Dave Bautista). A tranquilidade da família então chega a um fim abrupto quando Leonard, acompanhado por três outros estranhos armados, Redmond, Sabrina e Adriane (Rupert Grint, Nikki Amuka-Bird e Abby Quinn), conseguem entrar à força na cabana e faz a família de refém. Os invasores contam sobre uma visão misteriosa e força os familiares a tomarem uma decisão inimaginável, um sacrifício para evitar o apocalipse iminente. Com acesso limitado ao mundo exterior, Eric e Andrew devem decidir: eles realmente pretendem salvar o mundo ou fazem parte de um culto insano?

Foto: Divulgação/Universal Pictures

Por mais que a trama inicial possa gerar curiosidade, não passa disso. Shyamalan, que também assina o roteiro ao lado de Steve Desmond e Michael Sherman, apresenta uma história boba nada assustadora que entrega o suposto “suspense” logo de cara, com personagens cuja motivação não convence em nenhum minuto.

Um dos poucos momentos interessantes de “Batem à Porta” é justamente a cena do diálogo, inicial entre Dave Bautista e Kristen Cui, uma conversa que causa certo frisson, logo em seguida indo em direção de seus pais o doce e carinhoso Eric (Ben Aldrige) e o temperamental Andrew (Jonathan Groff). Ponto notável, pois a sexualidade dos dois não é importante para o grupo de sequestradores, gerando uma cena peculiar e bem desenvolvida.

Foto: Divulgação/Universal Pictures

Quando todos do elenco se juntam, fica claro que Shyamalan não conseguiu o mesmo feito de seu longa anterior “Old” (2021). Todas as explicações dadas pelo quarteto são fracas, até mesmo as mais racionais. Esse jogo entre os sequestradores e a família de ter empatia por todas as pessoas do mundo, em certos momentos convence o telespectador, mas acaba como um anticlímax.

Conclusão

Os longas de M. Night Shyamalan sempre foram algo mais acima da média, tem quem ame ou odeie, o diretor se consagrou pelas reviravoltas mirabolantes algo que não acontece em “Batem à Porta” focando unicamente em um mistério nada surpreendente com dilemas morais não desenvolvidos.

Confira o trailer: 


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ficha técnica:

Direção: M. Night Shyamalan;

Roteiro: M. Night Shyamalan, Steve Desmond e Michael Sherman;

​​Elenco: Dave Bautista, Jonathan Groff, Ben Aldridge, Nikki Amuka-Bird, Kristen Cui, Abby Quinn e Rupert Grint;


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Gênero: Terror psicológico;

Distribuição: Universal Pictures;

Duração: 100 minutos;

Classificação Indicativa: 16 anos;


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assistiu à pré-estreia a convite da Espaço/Z



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here