Petistas vão de ‘já ganhou’ à perplexidade

0
114


Apoiadores do ex-presidente Lula não esconderam frustração com o resultado do primeiro turno

Em um fim de semana que se iniciou com jingles, choros de felicidade e clima de “já ganhou”, petistas terminam a noite deste domingo demonstrando frustração com o resultado das urnas, que demonstrou uma força que, a eles, é tida como “inesperada” do bolsonarismo.

Petistas vão iniciar a segunda-feira, 2, com uma reunião de coordenação para debater o resultado do primeiro turno. Lula, apesar de demonstrar serenidade e até bom humor, admitiu a frustração com o resultado do primeiro turno a pessoas próximas.

O clima de tensão no lodge Jaraguá, no centro de São Paulo, onde Lula montou seu QG para acompanhar a apuração do primeiro turno, se iniciou poucas horas depois de se iniciar a divulgação parcial dos resultados.

Bolsonaro chegou a ficar 8 pontos à frente de Lula no meio da tarde, quando as urnas dos estados do Sul estavam em um ritmo de apuração bem mais avançado do que os do Nordeste.

Apoiadores de Lula como o presidente do PSOL, Juliano Medeiros, e o deputado estadual Emídio de Souza (PT), buscaram esboçar tranquilidade, mas evitaram expor como estava o clima entre os convidados. O ex-secretário de Cultura Alê Yousseff, que apoia Lula e estava com um boné vermelho, a esta altura, já se preocupava com a vantagem de Bolsonaro.

Militantes tentavam puxar coros de “virou” antes mesmo do momento em que Lula realmente atingiu a liderança e ultrapassou Bolsonaro. A pretend information fez com que jornalistas no entorno todos abrissem seus celulares para entender o que estava acontecendo, já que Bolsonaro, minutos antes, ainda estava com larga vantagem.

“Só para dar aquela levantada”, disse um dos puxadores do grito, aos risos, em meio a um grupo de militantes petistas e de movimentos sociais na porta do lodge. Com o avançar da apuração e a virada de Lula, a tensão se transformou em gritos de apoio ao petista e até alguns choros desesperados de alívio entre os uniformizados de vermelho na porta do lodge.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Marco Aurélio Carvalho, advogado líder do Grupo Prerrogativas e um dos mais próximos amigos de Lula na atualidade, tentou esboçar otimismo. Apareceu para fumar em frente ao lodge e disse que a disputa ainda estava em aberto, e que as urnas do Nordeste poderiam inclusive levar Lula a uma vitória no primeiro turno.

Com a virada, houve uma explosão de cânticos a favor do ex-presidente, como o conhecido “Ole, Ole, Olá, Lula, Lula”. Alguns dos militantes, choravam. A alegria durou pouco. A pontuação de Bolsonaro, especialmente no Rio e em São Paulo, com uma vitória de Claudio Castro (PL) no primeiro turno, e a vantagem de Bolsonaro em São Paulo, com a liderança de Tarcísio de Freitas (Republicanos) ao governo do Estado fizeram petistas e aliados perceberem que a disputa iria para um segundo turno com probabilities reais de vitória do atual presidente.

Um aliado afirmou ao Estadão que, durante a apuração, Lula disse a pessoas próximas, no lodge: “Não foi bem o que a gente esperava, mas tudo bem”. Disseram que o petista estava esboçando bom humor. Um aliado também disse que petistas estavam consternados com a força do “voto silencioso” em Bolsonaro.

Na saída do lodge, Rui Falcão (PT) disse que o resultado foi surpreendente, mas que agora é hora de recomeçar no segundo turno e voltar à campanha. Disse também que nesta segunda, haverá uma reunião da coordenação para debater o resultado.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No foyer do lodge, petistas estavam nervosos, inclusive, com a possibilidade de não manterem vagas no Congresso. Apesar de uma votação boa do PT em São Paulo para a Câmara, Paulo Teixeira (PT), claramente em estado de tensão, perguntava a assessores e jornalistas, a todo o tempo, qual period o resultado parcial da apuração. No fim, ele acabou entrando na lista dos eleitos. “Você está eleito!”, gritavam amigos, para relaxar o petista, que aliviava a preocupação.

De todos os aliados de Lula, apenas José Luiz Penna não se disse surpreso. O presidente do PV, já na última reunião da coordenação, alertava para um clima de já ganhou desnecessário e fora da realidade. Ao Estadão, ele disse que não se derrota um candidato “fascista” com essa facilidade, e que será apertada a disputa.

Após Lula deixar o lodge por uma saída reservada, petistas como Fernando Haddad e Eduardo Suplicy saíram pela porta da frente, onde foram ovacionados por apoiadores, que agora esvaziam o foyer e se dirigem à Avenida Paulista.

Estadão Conteúdo


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here